segunda-feira, 31 de março de 2008

Sinto que não me pertenço

prisio

Sinto que não me pertenço, sinto que sou apenas peça do jogo, jogo este que não permite que eu tenha minha própria opinião, preciso apenas seguir as regras, regras estas que valorizam apenas aqueles que controlam as peças, peça esta que sou eu, que sinto que não me pertenço.

Até quando iremos colaborar com o enriquecimento alheio e drenar todas as nossas energias nos privando de bons momentos, até quando viveremos esperando por aquele dia em que poderemos ser livres, nunca seremos livres, somos prisioneiros desse sistema, colaboramos com o aprisionamento de outros e até os que nos aprisionam estão presos.

Mas existe um mundo em que sou livre, um mundo em que faço o que quero, um mundo que posso afirmar com certeza que sou feliz, um mundo em que não preciso olhar no relógio, pois não tenho compromisso, um mundo em que minhas expectativas não são frustradas.

Sim, existe esse mundo, são os meus sonhos, quanto mais sou oprimido pelo mundo mais eu sonho, vivo nos sonhos o que não posso viver no mundo, vivo sonhando, sonho na vida.

A minha mente me pertence, meus pensamentos me pertencem, meus sonhos me pertencem, isso o sistema não pode comprar.

3 comentários:

  1. faça da vida um picadeiro, do sistema uma lona, enquanto vc naum puder sair lá de dentro, que seja pelo menos motivo de alegria, fonte de risos, e que tudo se mascare como uma grande brincadeira...o real naum pode ser suplantado pelo que crimos sobre ele, mas o que criamos pode ser compartilhado e eufemizar tanta opressão.

    ResponderExcluir
  2. To feliz por ver como vc evoluiu, falar do que pensa e sente não é uma tarefa fácil.Até eu que as vezes penso que sei tudo sobre vc me surpreendo...
    Te amo, e não deixe de escrever, é o melhor exercício, é uma terapia.
    Beijos...

    ResponderExcluir
  3. Muito boa reflexão!!!
    Parabéns!!!

    ResponderExcluir